Ligue agora

Exames

LDH - DEHIDROGENASE LÁTICA
Material de Coleta:
1,0 mL de soro.
Preparo do paciente:
Jejum não obrigatório.
Descrição do Exame:
DHL
LDH
Desidrogenase Láctica
Lactato Desidrogenase
Método:
UV otimizado..
Consevação:
Refrigerado entre 2 e 8 ºC: 12 horas.
Interferentes:
Hemólise
Valor de Referência:
230,0 a 460,0 U/L.
Interpretação:
É uma enzima intracelular encontrada nos tecidos corporais, liberada após lesão tecidual. Níveis séricos elevados são observados na anemia megaloblástica, carcinomas, choque grave, infarto do miocárdio, infarto pulmonar, anemia hemolítica, leucemia,mononucleose, inflamações, hipotireoidismo, pneumopatias, hepatites, etilismo, pancreatite, colagenoses, trauma e obstrução intestinal. Hemolise pode levar a resultados falsamente elevados.
Setor:
Bioquímica
Download da versão PDF
LDL COLESTEROL
Material de Coleta:
1,0 mL de soro.
Preparo do paciente:
Jejum de 12 horas
Descrição do Exame:
Colesterol LDL
LDL
Método:
Enzimático.
Consevação:
Refrigerado 2 e 8 ºC: 10 dias.
Congelado -20°C: 30 dias.
Interferentes:
Álcool e lipemia.
Valor de Referência:
De 2 a 19 anos:
Desejável:inferior a 110 mg/dL
Limítrofe:de 110 a 129 mg/dL
Elevado :superior a 129 mg/dL

Acima de 19 anos:
Ótimo........:inferior a 100 mg/dL
Sub-ótimo....:de 100 a 129 mg/dL
Limítrofe....:de 130 a 159 mg/dL
Elevado .....:de 160 a 189 mg/dL
Muito elevado:superior a 189 mg/dL
Interpretação:
As lipoproteínas de baixa densidade, do inglês, low density lipoproteins (LDL), são as principais proteínas de transporte do colesterol. A determinação da fração ligada a essas lipoproteínas (LDL-colesterol) é fundamental para a avaliação do risco de doença aterosclerótica, pois são seus níveis que determinam o diagnóstico e as metas de avaliação e de tratamento da hipercolesterolemia. A relação entre a doença aterosclerótica e o aumento de LDL é significativa e direta. Os níveis dessa fração do colesterol também se encontram elevados na síndrome nefrótica, no hipotiroidismo e na icterícia obstrutiva.
Setor:
Bioquímica
Download da versão PDF
LH
Material de Coleta:
Soro - 1 mL
Preparo do paciente:
Jejum de 8 horas.
A coleta deve ser feita preferencialmente até o quinto dia após o início do ciclo menstrual ou conforme solicitação médica (escrita ou verbal).
Anotar a idade, data da última mentruação e medicamentos em uso.
Descrição do Exame:
LH
Hormônio Luteinizante.
Método:
Quimioluminescência..
Consevação:
Refrigerado entre 2 a 8°C:7 dias.
Congelado a -20°C:30 dias.
Interferentes:
Anticonvulsivantes,Estrógenos,Clomifene,Espirolactona.
Hemólise e/ou lipemia intensa.
Valor de Referência:
Pré-púberes: até 0,9 mIU/ml
Púberes : até 6,0 mil/ml
Homem até 70 anos : 1,5 – 9,3 mIUmL
Homem acima de 70 anos : 3,1 - 34,6 mIU/mL
Mulheres:
Fase folicular : 1,9 – 1mIU/mL
Fase ovulatória: 8,7 – 76,mIU/mL
Fase lútea : 0,5 – 16,9 mIU/mL
Pós-menopausa :15,9 – 54,mIU/mL
Interpretação:
O hormônio luteinizante (LH) é um substância glicoprotéica produzida pela hipófise e secretada de forma pulsátil a cada intervalo de 10 a 20 minutos, podendo oscilar durante o dia.
No homem, o LH estimula as células de Leydig dos testículos, com conseqüente secreção de testosterona; na mulher, induz a ovulação.
Sua determinação está indicada no diagnóstico da ovulação, no hipogonadismo primário e na puberdade precoce.
Fatores associados a valores elevados :
•Mulheres:
Amenorréia primária (devido à disfunção ovariana), tumor pituitário ou hipotalâmico, ovariectomia, menopausa prematura, agenesia ovariana, ex.: Síndrome de Turner,administração de Gn-RH,administração de Citrato de Clomifeno.
•Homens:
Insuficiência testicular primária,disgenesia dos túbulos seminíferos- síndrome de Klinefelter,puberdade retardada, orquiectomia, anorquia, aplasia germinal testicular-Síndrome das células de Sertoli.
Fatores associados a valores reduzidos:
•Mulhere:
Amenorréia secundária (devido à insuficiência hipofisária),contraceptiva oral, hipofisectomia, administração de estrógenos ou testosterona, síndrome de Sheehan.
•Homens:
Insuficiência testicular secundária (devido à insuficiência hipofisária), hipofisectomia, administração de testosterona.
Setor:
Endócrino
Download da versão PDF
LINFÓCITOS CD4 E CD8
Material de Coleta:
1 mL Sangue total com EDTA/HEPARINA
Preparo do paciente:
Jejum não necessário.
Caso o paciente realize este exame mais de uma vez, recomendamos que a coleta seja realizada sempre no mesmo horário, independente se manhã ou tarde, devido ao efeito circadiano.
Descrição do Exame:
CD4
CD8
Linfócitos CD4
Linfócitos CD8
Método:
Citometria de Fluxo..
Consevação:
Temperatura ambiente 18 a 22°C:24 h
Interferentes:
Hemolise.
Acondicionamento inadequado.
Valor de Referência:
Ver no laudo original.
Interpretação:
O teste é útil na avaliação das imunodeficiências em que ocorrem alterações de linfócitos T supressores e T auxiliadores, a exemplo da SIDA, na qual o vírus HIV é especificamente citotóxico para as células CD4, provocando uma redução progressiva de seu número e uma conseqüente diminuição do índice CD4/CD8. A determinação do número absoluto e do percentual de linfócitos CD4 positivos é mais importante que a relação CD4/CD8 para avaliar o estado imunológico do portador da imunodeficiência e auxiliar o acompanhamento terapêutico.
Setor:
Hematologia
Download da versão PDF
LIPASE
Material de Coleta:
1,0 mL de soro
Preparo do paciente:
Jejum não obrigatório.
Descrição do Exame:
LIPASE
Método:
Cinético U.V.
Consevação:
Temperatura ambiente: 2 dias
Refrigerado entre 2 e 8 ºC: 3 dias.
Interferentes:
Hemólise acentuada.
Lipemia acentuada.
Valor de Referência:
De 2,0 18,0 U/I.
Interpretação:
A lipase é uma enzima digestiva que separa o glicerol dos ácidos graxos, no metabolismo das gorduras. Produzida principalmente pelas células do pâncreas exógeno, essa enzima se encontra elevada nos casos de pancreatite de qualquer etiologia. O fato é que a lipase e a amilase são exames complementares no diagnóstico de pancreatite, uma vez que, nessa situação, a amilase aumenta mais precocemente, enquanto a lipase permanece mais tempo em níveis elevados. Convém ressaltar que a lipase é específica do pâncreas, não aumentando em casos de parotidite simples.
Setor:
Bioquímica
Download da versão PDF
LIPIDOGRAMA
Material de Coleta:
1,0 mL de soro
Preparo do paciente:
Acima de 5 anos de idade: jejum mínimo de 12 horas
De 1 até 5 anos de idade: jejum mínimo de 6 horas
Até 1 ano de idade......: jejum mínimo de 3 horas
Descrição do Exame:
Lipidograma completo
Método:
Enzimático.
Consevação:
3 dias refrigerado entre 2 e 8 ºC
Interferentes:
Lipemia, hemólise
Valor de Referência:
HOMEM MULHER COLESTEROL TOTAL Desejável inferior a 200,0 mg/dL. Desejável inferior a 200,0 mg/dL Limítro
Interpretação:
Lipidograma é a dosagem dos 4 tipos principais de gorduras: colesterol total, HDL-colesterol, LDL-colesterol e triglicerídeos. Um cuidado importante quando se vai colher uma amostra de sangue para dosagem do perfil lipídico é que o paciente deve fazer pe
Setor:
Bioquímica
Download da versão PDF
LÍQUIDO SINOVIAL
Material de Coleta:
Líquido sinovial.
Preparo do paciente:
Jejum não necessário.
Descrição do Exame:
Liquido articular ou intra-articular.
Citologia do Liquido Sinovial
Método:
Estudo físico e citológico após coloração pelo Leishman. Inclui teste de mucina e pesquisa de cristais, contagem global e diferencial..
Consevação:
Refrigerado 2 a 8ºC: 72 horas.
Interferentes:
*
Valor de Referência:
Contagem global de celulas até 200/mm³.
Neutrófilos menor que 25%.
Ausência de cristais.
Interpretação:
Esse exame auxilia no diagnóstico diferencial de artroses, processos inflamatórios e infecciosos, sendo particularmente útil na gota, na qual a pesquisa de cristais de urato é positiva, e na pseudogota, na qual estão presentes os cristais de pirofosfato de cálcio. A contagem global e a quantidade de neutrófilos classificam o tipo de derrame.
Setor:
Hematologia
Download da versão PDF
LÍTIO
Material de Coleta:
1,0 mL de soro.
Preparo do paciente:
Jejum não obrigatório.
O paciente deve estar com a dosagem estável da medicação há pelo menos sete dias, mantendo o horário regular de tomada do medicamento.
Caso o medicamento seja usado apenas uma vez ao dia, a coleta deve ser feita de 12 a 24 horas após a tomada.
Caso o medicamento seja usado duas ou mais vezes ao dia, a coleta deve ser feita imeditamente ou até 1 hora antes da tomada do medicamento.
Em caso de suspeita de intoxicação, pode ser colhida a qualquer momento (anotar o horário da tomada).
É necessário informar ao laboratório o horário da última tomada.
Descrição do Exame:
Dosagem de lítio
Carbonato de lítio.
Método:
Eletrodo íon seletivo..
Consevação:
Refrigerado entre 2 e 8 ºC: 7 dias.
Congelado -20°C: 30 dias.
Interferentes:
Hemólise e Lipemia
Valor de Referência:
Nível terapêutico: 0,4 a 1,3 mEq/L.
Nível associado a efeitos tópicos: Acima de 1,5 mEq/L.
Interpretação:
O teste é útil na monitorização terapêutica do lítio. Sabe-se que esse elemento altera o metabolismo das catecolaminas nas funções neuronais, mas seu mecanismo intrínseco de ação ainda é desconhecido. Pela forma como age, o lítio suprime a fase maníaca da psicose maníaco-depressiva. A toxicidade da substância ocorre quando seus níveis sangüíneos ultrapassam 1,5 mEq/L, podendo ser grave com níveis superiores a 2,0 mEq/L. Os sintomas de intoxicação incluem náuseas, vômitos, diarréia, sonolência, fraqueza, ataxia, visão borrada, poliúria, confusão, estupor, convulsões e coma. Vale salientar que indivíduos que não estão recebendo medicamentos com lítio têm níveis séricos indetectáveis pelo método utilizado neste exame.
Setor:
Bioquímica
Download da versão PDF
Av. Nove de Julho, 1451
Tel.: (16) 3515-4500 | WhatsApp.: (16) 9 9159.7247
2ª a 6ª, das 6h às 18h30 | Sábado, das 6h às 13h
Av. Nove de Julho, 1410 (Behring/Núcleus)
Tel.: (16) 3516-0100
2ª a 6ª, das 7h às 19h | Sábado, das 7h às 12h
Centro Médico RibeirãoShopping - sala​s​ 24 e 25
Tel.: (16) 3515​-4550
2ª a 6ª, das 7h às 20h | Sábado, das 7h às 16h
Responsável Técnico: Dra. Maria das Graças Elias de Assis - CRF 8713-SP